Memórias

Memórias da infância podem ser as matérias-primas mais puras e preciosas.

Subir a escada bamba para deslizar no escorregador. Balançar olhando as nuvens. Brincar na gangorra na companhia do melhor amigo ou da primeira paixão. A vida era um parquinho e talvez nunca tenha deixado de ser.

Em Teutônia, uma bucólica cidade do interior gaúcho, durante anos ficaram abandonadas no “porão da vó” pilhas e mais pilhas de ágata, pedras brasileiras imbuídas de lembranças, mas adormecidas – apenas esperando para ter uma história para contar. Polidas, revelam sua beleza e suave transparência. Em harmonia com metais, uma elegante reinterpretação do familiar.

Uma coleção de jóias que questiona o conceito de preciosidade.

Pequenos cenários de momentos valiosos. Cada pessoa enxerga um fragmento da sua própria história.
Uma lembrança, um sorriso íntimo.
Embelezar-se das mais preciosas memórias – a fusão do passado, do presente e do futuro.

Memórias Memórias Memórias Memórias Memórias Memórias